Crianças e grávidas todas à vacinação!

A vacinação é o método mais efectivo de prevenir doenças graves que, no passado, levavam crianças e adultos a óbito e assustaram muitas gerações.

É na infância que a maioria das vacinas são aplicadas. Isso porque a criança, além de se desenvolver física e cognitivamente, também precisa evoluir seu sistema imunológico. Quanto antes a criança ficar imune contra doenças, melhor para a sua saúde.

Mais do que uma prevenção individual, a falta de vacinação é um hábito que prejudica toda a humanidade. Quanto mais pessoas não vacinadas, maiores as chances dos vírus de doenças já erradicadas retornarem.

Talvez porque algumas doenças não estejam activas há um bom tempo, as pessoas mais novas não tenham consciência da sua gravidade. Com isso, não dão a devida importância para a vacinação.

Em Angola, mais de 500 mil crianças estão sem nenhuma dose de vacina, tanto em áreas rurais, como urbanas, revelou, na semana passada, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Carlos Alberto Pinto de Sousa, para quem há a necessidade de se acelerar a vacinação, para promover o desenvolvimento saudável das crianças.

Com efeito, mais de 500 mil pessoas, entre crianças e mulheres grávidas, começaram, ontem, a ser vacinadas, em todo o país, durante uma campanha de sete dias, inserida na Semana Africana de Vacinação.

A decorrer sob o lema "População vacinada, população saudável”, a campanha é promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e decorre até ao último dia deste mês. A acção tem como objectivo reduzir o número de crianças ainda por vacinar com todos os antígenos, incluindo a nova vacina Rotavírus, que passa a fazer parte do Calendário Nacional de Vacinação.

Com a campanha, pretende-se, igualmente, elevar o nível de imunidade das crianças e reduzir a morbimortalidade infantil e materna, principalmente nas mulheres em idade fértil ou grávidas, bem como incentivar o combate ao tétano neonatal e materno.

Vai, por isso, o apelo a todas as mães a levarem as crianças à vacinação! Se for gestante, mais motivos ainda tem para se deslocar a um posto de vacinação mais próximo.